Vista das montanhas

chico lobo

Violeiro, compositor, cantador, Chico Lobo é natural de São João Del Rei (MG) – cidade eleita Capital Brasileira da Cultura 2007, cujo jingle oficial é de sua autoria. Artista carismático toca viola caipira desde os 14 anos. A crítica o considera um dos mais ativos e efetivos violeiros no processo de popularização da tradição musical do cenário brasileiro. É um profissional consciente do seu importante papel no universo da viola caipira e é desse modo que domina o palco – com presença e comunicação ímpares. Sobretudo, é um apaixonado pela cultura de sua terra. Foi nomeado Embaixador do Divino Espírito Santo (Festa folclórica de S.J.Del Rei) e Guarda Coroa de Santo Antônio (Congado/MG). Com a viola na mão toca e canta as folias, os congados, os catiras, as modas e demais ritmos que enfocam suas raízes mineiras e brasileiras no país e para o mundo – sempre de modo muito envolvente -, seja solo ou acompanhado por sua excepcional banda.

Tem mais de 30 anos dedicados à viola caipira (10 cordas). É apontado pela crítica como um dos mais ativos e efetivos violeiros no processo de valorização e divulgação deste instrumento típico, no cenário nacional e internacional. É um artista carismático – nascido em São João Del Rei (MG), eleita Capital Brasileira da Cultura 2007, cujo jingle é de sua autoria. Toca viola desde os 14 anos. Tem orgulho de ser compositor, cantador-caipira. Além de arranjador, produtor, diretor musical, apresentador de TV e rádio, colunista e escritor. Raro artista agregar reconhecido talento em tantas atividades. Todas dedicadas à cultura de identidade.

Em 2013, fundou em sua cidade natal – o Instituto Sócio Cultural Chico Lobo que atende 02 escolas da zona rural com aulas de violas. Um desejo antigo que alegra o coração deste artista obstinado pela valorização da nossa identidade, pela qual demonstra seu enorme respeito e desempenha o papel de “ponte” entre o som das raízes do interior de Minas e do Brasil e o som produzido contemporaneamente. A fim de ajudar o público a compreender, se encantar e preservar o que há de mais autêntico na cultura regional brasileira.

Percorrer o mapa mundi da carreira de CHICO LOBO – construída com esmero e talento -, é ir além dos limites da viola mineira. E das conexões com o lirismo urbano de seus parceiros. O artista ajuda a tornar a aldeia global mais caipira. E, por isso, mais bela, lírica e sábia. E é hoje, sem dúvida, um dos expoentes do Brasil.

chamada

calix bento

vazante

matuto

agreste

restinga